Adesiólise Epidural Lombar

Procedimento minimamente invasivo utilizado para alívio de dores na coluna, principalmente, para quem já operarou e permanece com dor. É um método utilizado para lise (soltura) de aderências e fibroses existentes no espaço epidural (no interior da coluna), comuns em síndrome pós-laminectomia (dor que persiste em pacientes que já operaram a coluna). A fibrose que se forma no espaço peridural de quem já operou uma hérnia de disco e pode contribuir para a perpetuação da dor, muitas vezes pior que a dor de antes da cirurgia.

A epiduroscopia, com acesso minimamente invasivo, anestesia local, consiste na introdução de um endoscópio no espaço epidural (dentro do canal vertebral) sendo possível visualização do espaço do canal vertebral e movimentos com o aparelho para soltura das aderências. Algumas substâncias podem ser injetadas nesse espaço, auxiliando o tratamento da dor, como anestésicos locais, corticosteróides, ou mesmo o gás ozônio, com forte ação anti-inflamatória. Os estudos na literatura mostram evidência fraca para a adesiólise lombar, que deve ser aplicada apenas em pacientes específicos, com possibilidade de alívio por até 12 meses, mesmo com procedimento único (ref. Helm et al., Percutaneous adhesiolysis in the management of chronic low back pain in post lumbar surgery syndrome and spinal stenosis: a systematic review - Pain Physician - 2012). 

Um exame neurológico minucioso é essencial para o correto diagnóstico, e assim, a escolha correta do melhor tratamento. Não é possível indicar um tratamento apenas olhando-se exames de imagem ou conversando. É importante lembrar que a maior parte das dores nas costas (em pacientes operados ou não) é a dor dos músculos e fáscias, chamada de dor miofascial. Procure um médico especialista para as corretas orientações antes de realizar qualquer procedimento invasivo. Mais de uma opinião é sempre importante para o paciente tomar a decisão correta quanto a seu tratamento.

Nem sempre a fibrose epidural é responsável pela dor. Muitas vezes, a dor já se encontra cronificada e o procedimento de adesiólise com epiduroscopia pode ser inefetivo. Existem outras alternativas para tratamento de dores mais complexas, como a estimulação medular com neuroestimulação